Terça-feira, 11 de Novembro de 2008

Teus olhos entristecem

Teus olhos entristecem
Nem ouves o que digo.
Dormem, sonham esquecem...
Não me ouves, e prossigo.

Digo o que já, de triste,
Te disse tanta vez...
Creio que nunca o ouviste
De tão tua que és.

Olhas-me de repente
De um distante impreciso
Com um olhar ausente.
Começas um sorriso.

Continuo a falar.
Continuas ouvindo
O que estás a pensar,
Já quase não sorrindo.

Até que neste ocioso
Sumir da tarde fútil,
Se esfolha silencioso
O teu sorriso inútil.

 

by Fernando Pessoa, in Cancioneiro

 

Foi... Com olhos de ver às 10:08
link do post | Posso só dizer uma coisa? | favorito

Quem sou eu...

Bisbilhotar por aqui...

 

Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Ultimamente...

Narizes empinados

Ajudar a Marta

Café e água das pedras

Sentou-se e esperou

Cor-de-Rosa

Apetecia-me

...

O síndroma do banco tripl...

Publicidade - Versão 2.2

Publicidade - Versão 2.1

Senhor da mercearia

Crescer

Publicidade - Versão 2.0

Mais um dia

Desafio... Venha ele...

Águas Passadas...

tags

todas as tags

links

blogs SAPO

subscrever feeds